Caindo a ficha. . .

Seca em São Paulo – O que parecia impossível está ocorrendo, A seca em São Paulo chegou! Caso ainda tenha água na sua residência, fique atento, pois não há como manter este fluxo de água nos próximos meses, ou semanas. Os reservatórios estão abaixo no mínimo. Já estamos utilizando o chamado volume morto. Imagine porque tem este nome?
Enfim, este padrão incomum das chuvas é um dos resultados das chamadas mudanças climáticas. 
Atmosfera e Biosfera – A relação entre tempo, clima e atmosfera é algo muito complexo, mas é algo que existe. Durante a época industrial, com o advento da energia do petróleo e carvão, foram lançadas na atmosfera megatoneladas de dióxido de carbono. Também, com a criação de gado  (bovino e suíno), megatoneladas de metano são jogadas na atmosfera. .  .  Estes gases, dióxido de carbono e metano, são os principais causadores do efeito estufa, quando a radiação solar fica aprisionada na atmosfera. Como consequência a energia total aumenta, isto se verifica num aumento da temperatura média do planeta, termodinâmica aplicada.
Permafrost e metano – O gás metano tem uma capacidade cerca de 20 a 30 vezes maior que a do dióxido de carbono, em relação ao efeito estufa. Apesar deste gás ser expelido pelo gado, como citado, existem megatoneladas aprisionadas no ártico, no solo congelado, chamado de permafrost. Como o ártico está derretendo, toneladas de metano estão sendo jogadas na atmosfera. . . A velocidade de derretimento está aumentando. Sem contar que existem depósitos de metano no fundo do mar, que podem ser liberados com o aquecimento dos mares, são os depósitos de hidratos de metano. Recapitulando, estas reservas de metano estavam seladas pelo gelo no ártico. Agora estão sendo liberadas na atmosfera. O metano contribui de 20 a 30 vezes mais que o dióxido de carbono para o efeito estufa.
Efeito retardado – Segundo os especialistas o aquecimento antrópico, verificado nos dias de hoje, teve sua origem nas emissões dos anos 70. Isto é, mesmo que toda a emissão de gases fosse parada hoje, seus efeitos durariam pelos próximos 40 anos. . . As emissões continuam aumentando, o nível de dióxido de carbono (o mais famoso do efeito estufa) aumentou. Desde o começo da era industrial, em 1750, a concentração média de dióxido de carbono teria aumentado 41%, a de metano, 160%” .
Ponto de não retorno – A liberação de metano aumenta a temperatura, que por sua vez aumenta a liberação de mais metano. Isto é o que se chama de realimentação positiva. É bem possível que o processo de liberação de metano do ártico não tenha mais volta, isto é, foi acionado um gatilho irreversível. Durante e evolução do planeta foram identificadas 5 grandes extinções em massa, a mais famosa foi a dos dinossauros, causada por um meteorito. A maior extinção, que extinguiu 95% da vida do planeta, ocorreu devido a um aumento de 6 graus na temperatura, que desencadeou, possivelmente, a liberação do metano. Este processo de aumento da temperatura levou alguns milhares de anos. A industrialização, com a liberação de uma quantidade de dióxido de carbono (armazenada no petróleo) num espaço tão curto de tempo, parece já ter iniciado este processo irreversível. Mais da metade do plâncton dos oceanos  já desapareceu. Estes pequenos animais não conseguem se adaptar ao aquecimento dos oceanos. Quem não se adapta morre! Com a morte da vida marinha, a cadeia alimentar está comprometida . .
Vai demorar? – No imaginário, sempre consideramos que estas tragédias estão muito distantes, ou seria uma técnica de manipulação? No entanto elas já estão ocorrendo. Uma coisa que estamos acostumados é com a linearidade. No entanto, devido ao efeito de realimentação positiva,  os efeitos do aquecimento global parecem ser exponenciais.

“O maior defeito da raça humana é a sua incapacidade de compreender a função exponencial.”
Então, diante das mudanças climáticas, que já ocorrem, os especialistas estimam que a cada dia 200 espécias são extintas. Isto ocorre porque não conseguem se adaptar. Novamente, quem não se adapta morre! Esclarecendo, o processo de extinção, provocado pelo aquecimento global, já está em curso! Como assim? Bem, se todas as máquinas parassem de funcionar agora, ainda teríamos o efeito do gases lançados desde os anos 70 até agora. Assim, segundo previsões de Guy McPherson, o professor emeritus da Universidade do Arizona, que abandonou a carreira acadêmica para palestrar, dar entrevistas e escrever sobre a evidência científica que suporta a previsão, segundo ele, com uma certeza praticamente absoluta, da seguinte citação de outro cientista, Jonh Davies:

“O mundo está provavelmente no início de um evento de efeito estufa descontrolado o qual vai acabar com a maioria da vida humana na Terra antes de 2040.”

Um dos maiores intelectuais vivos, Noam Chomsky, professor do MIT, cita estes estudos em um artigo de divulgação:

The End of History? The short, strange era of human civilization would appear to be drawing to a close

Uma versão do artigo, em português, encontra-se aqui
Triste espécie, pobre coruja de minerva

Também há artigos na
Climate science: Vast costs of Arctic change

Por ultimo, dois vídeos, um com uma entrevista com Guy Mcpherson; o outro, uma palestra da pesquisadora russa Natalia Shakhova, especialista no ártico. Recomendo fortemente aos leitores que vejam os vídeos, eles são o coração desta postagem, depois tirem suas conclusões.

Guy McPherson

Natalia shakhova

Carpe Diem.

Militão Figueredo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s